Lábio Leporino

Lábio Leporino

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) comemora o credenciamento do Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP) como referência Norte/Nordeste para o atendimento aos portadores de fissuras palatais (lábio leporino). Por meio da Portaria nº 681 do Ministério da Saúde, publicada no último dia 30 de setembro, foi autorizada a implantação do Núcleo de Atendimento nos Defeitos da Face – Portadores de Fissuras Lábio- Palatais do IMIP. Na unidade, agora está sendo disponibilizado todo o tratamento da patologia – que até então só era realizado no Hospital de Reabilitação de Anomalias Crânio-Faciais, em Bauru, São Paulo – e a cirurgia.

Lábio Leporino

O credenciamento da unidade foi resultado do êxito obtido pelo projeto técnico elaborado pela SES para realização do mutirão de atendimento aos pacientes de fissuras lábio- palatais – o primeiro a ser realizado em todo o País- , ocorrido de março a setembro deste ano. Realizado no Imip, o mutirão que tinha como meta o atendimento de 600 pacientes, atendeu mais de 700 pessoas no Estado. Durante o mutirão, foram realizadas cirurgias, colocados aparelhos ortodônticos e estabelecidos planos de tratamento que agora poderão ser realizados no Núcleo.

 

O serviço conta com uma equipe multiprofissional que envolve clínicos, pediatras, cirurgiões, fonoaudiólogo, psicólogo, otorrinolaringologista, odontologista pediátrico, odontologista clínico e ortodontista. Inicialmente, o paciente será atendido pela equipe de diagnóstico, para definição do plano de tratamento. A SES terá a função de supervisionar a cada seis meses o serviço e irá estabelecer a forma de orientação em todas as unidades públicas e privadas para que os nascidos com essa anomalia sejam encaminhados ao Imip, para iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Anomalia – As fissuras Lábio Leporino são malformações genéticas que ocorrem, geralmente, em torno da quarta e décima segunda semana de vida intra-uterina. São caracterizadas por anomalias no lábio e/ou palato (céu da boca), que podem ser detectadas por meio da ultrassonografia. Entre as dificuldades pelas quais passa o bebê fissurado está a dificuldade para se alimentar, apresentando problemas na sucção, vômitos abundantes, engasgamentos e asfixias.

fissuras palatais

Tratamento Lábio Leporino

O tratamento desse tipo de anomalia deve ser iniciado aos três meses de vida, quando é feita uma cirurgia de lábio. Aos nove meses faz-se uma cirurgia de palato (céu da boca). Entre oito e nove anos é colocado um aparelho ortodôntico para alinhamento dos dentes e, em alguns casos, também é necessária uma cirurgia de nariz. No término do tratamento, o paciente poderá ser submetido a uma cirurgia de ortognática (para colocar o maxilar e a mandíbula em contato).

Durante todo esse período, o paciente deverá estar sendo acompanhado por um dentista, fonoaudiólogo e psicólogo. Além disso, os pais também deverão ser orientados e acompanhados, pois muitas vezes esse tipo de anomalia gera preconceito perante a sociedade, apesar dos portadores serem totalmente normais. A anomalia pode também ser detectada desde a gestação, sendo identificada em exame de ultrassonografia, podendo assim já ser iniciado o tratamento psicológico da mãe.

Infecção urinária em Crianças 

Serviço: Núcleo de Atendimento nos Defeitos da Face – Portadores de Fissuras Lábio- Palatais do IMIP. Atendimento às segundas-feiras, de 7h às 12h. As consultas podem ser agendadas pelo telefone 3231-0328.

Infecção Urinária em crianças

Infecção Urinária em Crianças

A Infecção urinária em crianças é frequente na infância, com maior preponderância no sexo feminino. O seu diagnóstico e tratamento adequado são importantes para prevenir a evolução para uma infecção renal (pielonefrite) ou infecção generalizada (sépsis), e para evitar consequências tardias como as cicatrizes renais e a insuficiência renal.

infecção urinária em crianças

Como aparece a infecção urinária em crianças?

As infecções urinárias podem surgir de duas formas distintas: uma através de bactérias que contaminam o sangue e infectam secundariamente o aparelho urinário (via hematogênese), e outra, mais frequente, a partir de bactérias presentes na região do períneo (zona que rodeia o ânus e os genitais), que a partir da abertura da uretra infectam outras zonas do aparelho urinário (via ascendente).

A primeira forma de infecção (via hematogênese) é característica do 1º mês de vida. Depois dessa idade a grande maioria das infecções urinárias faz-se por via ascendente.

A possibilidade de infecção por via ascendente está associada não só a deficiente higiene do períneo (onde se encontram micro organismos da flora intestinal transportados nas fezes), como a proliferação de bactérias se existem condições que facilitam a permanência prolongada da urina na bexiga (tais como o esvaziamento pouco frequente ou incompleto da bexiga ou a existência de anomalias do aparelho urinário).

Porque razão a infecção urinária é mais frequente no sexo feminino?

A infecção urinária é mais frequente no sexo feminino por razões anatômicas, já que as meninas têm uma uretra mais curta, facilitando a passagem de bactérias do exterior para o interior da bexiga.

No sexo masculino, a fimose (aperto do prepúcio, que é a pele que envolve a extremidade do pénis) ou as aderências do prepúcio associadas a uma higiene deficiente desta região, podem também favorecer as infecções urinárias por via ascendente, mas em número inferior às que afetam as meninas.

tratamento infecção urinária

Como se manifesta a infecção urinária em  criança?

Um dos problemas que o diagnóstico das infecções urinária apresenta é a sua sintomatologia pouco específica nas crianças mais pequenas. Assim, podemos considerar diferentes formas de apresentação consoante a idade da criança.

Durante o primeiro ano de vida a infecção urinária pode manifestar-se por febre, deficiente aumento de peso, recusa alimentar, vômitos, diarreia e urina com mau cheiro.

Dos dois aos seis anos, além da febre, vômitos, diarreia e dor abdominal, é possível encontrar sintomas mais específicos, como o aumento das idas à casa de banho para urinar, ardor a urinar e dificuldade ou impossibilidade de controlar a saída da urina (enurese). Para dificultar o quadro, as meninas desta idade têm frequentemente irritação da região genital (vulva), que pode causar também ardor durante a micção sem que haja infecção.

Nas crianças mais velhas, os sintomas são semelhantes aos do adulto com predomínio das queixas urinárias, como ardor ao urinar e aumento da frequência das micções.

Como se faz o diagnóstico de infecção urinária?

Perante a suspeita de uma infecção urinária em criança, o médico pede uma análise de urina colhida para um recipiente esterilizado (urino cultura) para tentar identificar a presença de bactérias. No caso de o resultado ser positivo, aproveita-se a mesma amostra de urina para testar a sensibilidade de diferentes antibióticos para a bactéria isolada, selecionando os mais eficazes para o tratamento da infecção.

Que consequências pode ter uma infecção urinária?

Embora a maioria das infecções urinárias precocemente diagnosticadas e corretamente tratadas evoluam para a cura sem complicações, sabe-se que 5 a 10% das crianças com infecção urinária sintomática acompanhada de febre ficam com cicatrizes renais. As infecções repetidas, incorretamente tratadas ou de maior gravidade, podem originar complicações tardias, como a hipertensão ou a insuficiência renal.

A infecção urinária com envolvimento renal (pielonefrite) pode provocar uma disseminação das bactéria através do sangue causando uma infecção generalizada e grave (sépsis). A probabilidade de isto suceder é bastante superior nos três primeiros meses de vida, motivo pelo qual as crianças dessa idade com infecção urinária e febre devem ser internadas para melhor vigilância do tratamento e da evolução da infecção.

Veja aqui tudo sobre Mimar Crianças

Toxemia

Toxemia – O que é

Anteriormente conhecida como pré-eclâmpsia, essa condição se caracteriza por um aumento na pressão induzido pela gravidez. Dependendo da severidade do quadro, essa doença pode levar a interrupção da gravidez já que pode colocar a vida da mãe em risco. Ninguém sabe ao certo o que causa esse problema mas ela ocorre mais frequentemente na primeira gestação e ataca um número maior de mães mal nutridas. As pesquisas sobre o assunto continuam e espera-se que em breve a toxemia seja mais bem entendida.

toxemia

Sintomas Toxemia

Os sintomas  incluem aumento da pressão arterial, presença de proteína no exame de urina e inchaço acentuado na face e nas extremidades. Se o quadro não é tratado e se desenvolve a forma mais grave da doença, os sintomas incluem ainda dor de cabeça, visão turva e insuficiência renal. Ela não tratada pode levar a um quadro de eclâmpsia (Clique aqui) em que a mãe tem convulsões, pode entrar em coma e até morrer.

Tratamento Toxemia

Se não for tratada essa doença possa ser fatal mas, na maioria dos casos, quando a mãe recebe cuidados pré-natais adequados, os sintomas são descobertos bem no início, havendo a possibilidade do tratamento e controle do quadro até o final da gestação. A única cura total conhecida para a toxemia é a retirada da placenta. Por isso, se o quadro estiver fora de controle e a vida da mãe estiver em perigo, o médico pode ter que optar pela interrupção da gravidez ou pelo parto prematuro, dependendo do estágio da gestação.

Aborto Espontâneo

Aborto Espontâneo

Passar pela experiência de um aborto espontâneo está entre as situações mais tristes na vida de uma mulher. De repente, a imensa alegria e expectativa da gravidez são substituídas por uma sensação de vazio. Pela cabeça dessa mulher passa, sem dúvida, a eterna pergunta: por que eu ? A realidade é que o abortamento na espécie humana é muito mais comum do que se imagina, sendo que até 15% das gestações confirmadas não vão adiante, terminando em aborto espontâneo. Mas o que causa esses abortamentos ?

Continue lendo “Aborto Espontâneo”

Diabetes gestacional

Diabetes Gestacional – Soluções e conselhos

O diabetes gestacional é uma complicação de tratamento simples da gravidez. No entanto, é muito importante seguir o aconselhamento médico para controlá-lo, uma vez que suas conseqüências para o feto podem ser irreversíveis.

Continue lendo “Diabetes gestacional”

Melasma

Melasma

As alterações hormonais da gestação causam mudanças importantes no corpo da mulher, inclusive alterações cutâneas.
Para tentar evitar essas alterações, a mulher deve ter certos cuidados especiais. Um fator importante é a fotoproteção através de filtros físicos e químicos, e mesmo redução da exposição solar, que contribuem para que não surjam as manchas escuras na pele (melasmas), comuns na gestante.
Continue lendo “Melasma”

Endometriose

O que é Endometriose

Endometriose é a presença de tecido endometrial ( que normalmente está dentro da cavidade uterina) fora do útero. A localização mais frequente da endometriose é em orgãos pélvicos ou seja: ovarios,trompas uterinas,útero , bexiga, reto.Mas a endometriose pode também ser encontrada em orgãos extra pélvicos como:intestino, apêndice, parede abdominal, diafragma, pulmões, trato urinário etc). Continue lendo “Endometriose”